A moda que não é pra você

 

A maioria dos blogs e sites famosos de moda (como os de revistas) focam apenas em um 'tipo' de mulher, não é preciso dizer qual né? Eles ignoram completamente as mulheres em geral, com todas as nossas misturas. Lançam tendências uma atrás da outra e nem se quer se preocupam em mudar direito o titulo da postagem "a peça que você deve ter" duas horas depois "a peça trend que você deve ter" três horas depois "a peça super trend que você deve ter". Mas afinal, qual é o trend que devemos ter? 

Ditam regras: como não usar sutiã e não parecer vulgar (em pleno séc. 21 ainda tem mulher querendo ensinar outra mulher a não ser vulgar, uma peça de roupa não deve ser usada como julgamento), como usar tal peça e esconder as gordurinhas, como usar tal peça e não parecer cafona, como alisar seus cabelos, a peça ideal para o seu tipo de corpo, a peça que vai te emagrecer, a peça que vai te dar mais quadril, a peça que vai valorizar os seus seios, a peça que vai diminuir os seus seios, entre outras.

Regras mais extremas que resultam em julgamentos: quem tem coxa grossa não pode usar roupas curtas é vulgar, quem tem pouco seio deve usar sutiã com bojo, não usar roupa justa com quadril largo, etc.

No mundo da moda e na mídia ha dois extremos: ou você é extremamente magra, ou plus size. Todos os dias vemos noticas com os titulos "fulana ganhou alguns kilos", "ciclana recebeu criticas por estar magra demais". Como se isso fosse algo errado. "Modelos que incrivelmente são consideradas plus size". "Modelos lindas e plus size." Eles colocam "Modelos loiras e lindas"? Não, esse é o problema.

A maioria dos blogs de moda focam apenas em famosas/it girls/modelos magérrimas, loiras e ricas. Não é dificil abrir as redes sociais deles e só ver esse tipo de foto postada pra qualquer assunto. Não teria nada de errado se não ignorassem as outras mulheres. Como vai ter uma identificação geral com a peça em questão? (Também considero errado dizer que mulheres naturalmente magras ou que são saudáveis não são "mulheres reais", todas nós somos reais e perfeitas a nossa maneira, independente do que digam.) Uma coisa é mudar porque queremos, outra é para agradar terceiros ou a sociedade. A mesma sociedade que cria e depois critica anoréxicas e bulimicas, e outros transtornos psicológicos. Além disso, também tem a pressão para alisar os cabelos (pois tem aparencia de hidratados), de comprar apenas roupas de marca caras, etc. Depois de 200 postagens e capas de revistas nos padrões, eles jogam uma ou outra com mulheres plus size, negras, asiáticas, para dizer que incluem todas. Mas não incluem.

Agora é TREND ter o cabelo colorido, mas há alguns anos atras era errado. Antes os olhares e comentários eram inevitáveis, hoje a vontade de copiar. Antes tatuagem era coisa de vagabundo, hoje é cute e trend as tatuagens nas mãos e delicadinhas. Entre outros novos trends.

Digo mulheres, mas quero dizer principalmente as garotas, que buscam inspirações e acabam idealizando e crescendo se esquecendo de quem realmente são por quererem ser iguais a outras garotas. É um saco sair na rua com medo de julgamentos "vão me achar vulgar?" "minha perna ta muito grossa?" "meu cabelo ta bom?" "e as celulites?". Julgamentos que na maioria das vezes vem de outras mulheres que são ensinadas a seguir isso desde cedo. Pensando bem, a maioria dos sites em questão são criados por mulheres, o problema é maior do que se pensa. Eles continuam criando isso, porque é o que a sociedade quer e foi condicionada a querer. 

 

A moda por um lado é maravilhosa, como poder usar a criatividade, criar coisas, expressar o que se sente etc. Mas acho que seria considerada uma anti-fashion. A moda pode ser muito seletiva e isso já começa nos cursos da faculdade, todas pagas. Se tivesse que escolher ficaria com o mundo alternativo da moda, com mais liberdades e sem padrões. Se eu quiser ser vulgar eu vou ser, se eu quiser sair sem sutiã eu vou sair, se quiser deixar meu cabelo natural eu vou deixar, se quiser raspar o cabelo todo eu vou raspar. E pronto.

Dando uma pesquisada nos blogs e sites "A" de moda, tudo o que encontrei foi o relatado acima. As mulheres normais e isso inclui todas, loiras, negras, magras, gordinhas, asiáticas, ruivas, morenas, as modelos, as celebridades, as it girls não são a perfeição toda que se encontra nas capas de revista, todas tem os seus dias sem maquiagem, de pijaminha, moletom, então não há porque querer criar uma realidade supostamente perfeita. Mais recentemente: "Kylie Jenner também tem celulite :O" é lógico que deve ter, mas só pintam ela como a perfeição, não com uma pessoa normal, por isso o choque.

Existem blogs com exceções, um dos mais conhecidos o Depois dos Quinze da Bruna Vieira explora vários assuntos. Ela já foi muito criticada em alguns dos seus looks do dia por não ser um padrão e calou as criticas com um "eu me amo". Blogs pessoais até pode ter diversidade, mas em relação a revistas eletrônicas e sites famosos não acho que incluem todas como deveriam, um página entre milhões não é incluir.

Querer procurar referências ok, todo mundo faz isso, quer seguir algumas das regras impostas? siga. Mas faça o que quiser, be happy. Só não se esqueça que por mais que tente se encaixar em um padrão não vai conseguir, eles sempre vão te julgar. E pode ser que quem crie esse tipo de conteúdo também seja apenas uma vitima da sociedade.

 

"Em uma sociedade que lucra com a sua auto-dúvida, gostar de si mesmo é um alto de rebeldia."

Depois disso tudo, fica a reflexão: a moda em geral é para quem mesmo?

 

 

 

 

(ps: o 'probleminha' é muito maior se for englobar outros tipos de blog, mídia, instagram, revistas e afins. Poderia citar mil exemplos, mas dúvido que alguém va realmente ler até o final do post pelo tamanho do texto, fica pra próxima.)

(ps2: aqui no blog pode ter uma postagem ou outra com como usar/peça que deve ter, mas focando em combinações e não em padrões)


Deixe um comentário